Medicina Preventiva /

Notícias

Mães por vocação

08/05/2016

O sentimento da maternidade é algo inerente à mulher, no entanto nem todas trilham o mesmo caminho para chegar a ter um filho em seus braços.

Confira o depoimento de algumas colaboradoras do Bensaúde que, de forma emocionada, traduziram em palavras e lágrimas o que é ser mãe. 




Mas a vocação de ser mãe muitas vezes transcende o gerar em seu próprio ventre e o caminho da adoção passa a ser considerado, mediante as diversas situações que essa mãe possa se encontrar. Seja por qual caminho ela tenha que trilhar, sempre encontrará medos, dúvidas, obstáculos e escolhas a fazer para realizar esse sonho.

Atualmente, alguns juizados responsáveis por conduzir processos de adoção, contam com grupos de apoio em que candidatos a adotar podem frequentar antes mesmo de se habilitar para receber uma criança. A ideia é justamente lidar com as emoções muitas vezes contraditórias que envolvem a decisão.

Vários aspectos são questionados para que essa mãe tenha mais segurança na sua decisão e para que a criança adotada não enfrente depois a rejeição de ser devolvida, podendo desenvolver problemas emocionais e correndo o risco de não conseguir uma segunda chance.

- Problemas de fertilidade: o desgaste físico, emocional e financeiro quando se descobre que existem problemas para engravidar, pode ser um dos fatores que levam a pessoa partir para a adoção. O que precisa ser considerado é que a chegada de um filho adotivo nem sempre "cura" a dor da infertilidade e isso deve ser trabalhado para não gerar frustrações maiores.

- Casamento que vai mal: Alguns casais pensam que seus desentendimentos podem ser solucionados com a chegada de uma criança. Embora seja fonte de prazer e satisfação, filhos dão trabalho e mudam completamente a dinâmica do casal. Se a relação já não vai bem, será que aguentará? E, se não aguentar, como fica mais essa pessoinha nessa história?

- "Aparecimento" de uma criança: Histórias comuns de uma mãe que não pode criar e pode "aparecer" na vida de uma mulher que quer ser mãe, mas as duas situações devem ser consideradas. Primeiro, o fato de haver uma lista oficial de pessoas esperando para adotar e correr o risco de adotar uma criança sem passar pelos trâmites e acabar perdendo-a depois. O outro problema é tomar uma decisão precipitada de ficar com o bebê e depois se arrepender porque não era exatamente isso o que se esperava ou queria.

- Sensação de vazio na vida: A falta de sonhos, planos e perspectivas podem levar a mulher achar que ter um filho tudo se resolverá, no entanto, filho se cria para o mundo e ele não permanecerá tanto tempo assim à sua volta, correndo o risco de em breve sentir-se sozinha novamente.

- Amor por crianças: Fator importante, mas que não é suficiente para a decisão de adotar. Fora isso, deve-se considerar a vontade de ter uma criança na sua vida, e de se transformar em alguém que será responsável pela formação do outro ser.

- Vida financeira favorável: Essa questão tem seu peso, pois podem proporcionar à criança bons recursos, boas oportunidades de vida e de futuro. Tomar conta de um filho exige investimento de dinheiro sim, mas muito mais de tempo, carinho e atenção.

Após todas as análises feitas, a conclusão que se deve chegar é que o mais importante é unir o amor por crianças à vontade de se dedicar inteiramente a uma delas, e de mudar sua vida e quem você é em função disso. Reconhecer que há muito que aprender e aproveitar a oportunidade.

Esse é um bom ponto de partida para adotar um filho. E entender que o amor tem um peso muito grande, independente do laço sanguíneo, pois até mães biológicas podem rejeitar e negligenciar seus filhos naturais.

Com as transformações culturais e sociais que foram acontecendo através da evolução natural das sociedades, a mulher foi conquistando maior espaço para se desenvolver e evoluir, e com isto, chega ao tempo em que a maternidade é uma escolha da mulher, portanto, aquela pessoa que escolhe ser mãe, seja por laço sanguíneo ou no papel de adotiva ou cuidadora, merece ajuda e respeito para realizar-se como tal.

E a todas as mães, de qualquer tipo, sexo, raça, cultura e grau de dedicação, desejamos um dia das mães realizador.

Fontes: www.brasil.babycenter.com ; www.adocaobrasil.com.br



Escritório Central
(17) 3214-6499

Unidade Administrativa
Rua XV de Novembro, 4488 - Redentora
CEP 15015-110 - São José do Rio Preto/SP
Unidade Medicina Preventiva
Rua Redentora, 3140 - Redentora
CEP 15015-780 - São José do Rio Preto/SP
Unidade Comercial
Rua Redentora, 3238 – Redentora
CEP 15015-780 – São José do Rio Preto/SP
© Bensaúde - Todos os direitos reservados
desenvolvido por Diginova - Sites e Sistemas