Medicina Preventiva /

Notícias

Memória: características e como melhorá-la

04/07/2013

O que nos faz lembrar de uma detalhada história ocorrida no passado? Como deixamos fluir naturalmente as frases complicadas de longas canções? Por que nunca nos esquecemos de como se dirige um automóvel?
Nestes exemplos, a memória surge como um processo de retenção de informações no qual nossas experiências são arquivadas e recuperadas quando as chamamos. É uma função cerebral superior relacionada ao processo de retenção de informações obtidas em experiências vividas.
A memória é uma faculdade cognitiva extremamente importante porque ela  forma a base para a aprendizagem. Se não houvesse uma forma de armazenamento mental de representações do passado, não teríamos uma solução para tirar proveito da experiência.
Assim, a memória envolve um complexo mecanismo que abrange o arquivo e a recuperação de experiências, portanto, está intimamente associada à aprendizagem, que é a habilidade de mudarmos o nosso comportamento através das experiências que foram armazenadas na memória.
Existem diferentes categorias de memórias, entre elas estão:

·         memória ultra-rápida cuja retenção não dura mais que alguns segundos.

·         memória  de curto prazo (ou curta duração), que dura minutos ou horas e serve para proporcionar a continuidade do nosso sentido do presente.

·         memória de longo prazo (ou de longa duração), que estabelece traços duradouros (dura dias, semanas ou mesmo anos).

A perda de memória pode estar associada a determinadas doenças neurológicas, a distúrbios psicológicos, a problemas metabólicos e também a certas intoxicações. 
A forma mais frequente de perda de memória é conhecida popularmente como "esclerose" ou demência.
A demência mais comum é a doença de Alzheimer que se caracteriza por acentuada perda de memória acompanhada de graves manifestações psicológicas como por exemplo a alienação.
Outros problemas que afetam a memória são:

·         Estados psicológicos alterados como o estresse, a ansiedade e a depressão.

·         A falta de vitamina B1 (tiamina) e o alcoolismo.

·         Doenças da tireoide, como o hipotireoidismo.

·         O uso de medicação como os calmantes, ou drogas por tempo prolongado.

·         A vida sedentária com excesso de preocupações e insatisfações, bem como uma dieta deficiente, favorece a perda de memória.

Contrariamente ao esquecimento comum ocorrido normalmente no dia-a-dia de nossas vidas, existem algumas doenças no cérebro que causam séria perda de memória e também interferem com a capacidade de aprender. A esta inabilidade dá-se o nome de Amnésia. E podem ocorrer por traumatismos, tumor, encefalites e AVC.
Existem muitas coisas que você pode fazer para melhorar a sua memória, aqui vão algumas estratégias:

·         Estimular a memória. Utilize ao máximo a sua capacidade mental. Desafie o novo. Aprenda novas habilidades.

·         Prestar atenção. Não tente guardar todos os fatos que acontecem, mas focalize sua atenção e se concentre naquilo que você achar mais importante.

·         Relaxar. É impossível prestar atenção se você estiver tenso ou nervoso. 
Associar fatos a imagens. Aprenda técnicas mneumônicas. Elas são uma forma muito eficiente de memorizar grande quantidade de informação.

·         Visualizar imagens Veja as figuras com os "olhos da mente". 

·         Alimentos. Algumas vitaminas são essenciais para o funcionamento apropriado da memória: tiamina, ácido fólico e vitamina B12. São encontradas no pão e cereais, vegetais e frutas.

·         Água. Ajuda a manter bem funcional os sistemas da memória, especialmente em pessoas mais velhas.

·         Sono. Afim de se conseguir uma boa memória, é fundamental que se permita sono suficiente e descanso do cérebro.

A insônia leva a um estado de fadiga crônica e prejudica a habilidade de concentrar-se e armazenar informações.
A diminuição da memória que ocorre na Terceira Idade, na maioria das vezes é absolutamente benigna, mas frequentemente, por falta de melhor informação, angustia o idoso que tem dificuldade de aceitá-la como um fato normal.
Uma excelente oportunidade para o resgate e desenvolvimento de potencialidades presentes durante toda a vida, é a participação em grupos educativos e terapêuticos.
O Bensaúde oferece aos seus beneficiários participantes dos grupos da Medicina Preventiva, um trabalho complementar que ensina técnicas e exercita a memória dos integrantes.

Fonte: www.cerebromente.org.br




Escritório Central
(17) 3214-6499

Unidade Administrativa
Rua XV de Novembro, 4488 - Redentora
CEP 15015-110 - São José do Rio Preto/SP
Unidade Medicina Preventiva
Rua Redentora, 3140 - Redentora
CEP 15015-780 - São José do Rio Preto/SP
Unidade Comercial
Rua Redentora, 3238 – Redentora
CEP 15015-780 – São José do Rio Preto/SP
© Bensaúde - Todos os direitos reservados
desenvolvido por Diginova - Sites e Sistemas