Medicina Preventiva /

Notícias

Obesidade Infantil

07/06/2013

A obesidade é um dos problemas que vem crescendo e consequentemente o número de doentes também, principalmente nas sociedades industrializadas onde o estilo de vida inclui principalmente a má alimentação, o sedentarismo e o estresse. Houve uma mudança drástica nos hábitos familiares, que conduziu a horários de refeição irregulares e à tendência para a comida rápida.

A Organização Mundial de Saúde (OMS, 2012) afirma que a obesidade é a causa de morte de 2,8 milhões de pessoas por ano.

Conforme dados do Ministério da Saúde, 32% da população adulta brasileira estão com excesso de peso. Entre as crianças e adolescentes, esse percentual já é de 15%. As consequências à saúde das crianças incluem: diabetes, hipertensão, dislipidemia, asma, complicações ortopédicas, efeitos psicossociais, apneia do sono, entre outras. Além de que, na infância o excesso de peso provoca um aumento irreversível do número de células de gordura que irão acompanhar o indivíduo pelo resto da vida.

Muitos especialistas da área afirmam que a expectativa de vida pode diminuir drasticamente nas próximas duas décadas por causa da obesidade infantil.

A primeira atitude a fazer diante de uma criança com obesidade mórbida é promover uma grande reestruturação da vida familiar. Em alguns casos utiliza-se medicamentos para controlar o apetite, mas na realidade a base do tratamento é a reeducação alimentar.

Os pais devem ensinar seus filhos sobre toda e qualquer informação e comportamentos a seguir, para auxiliá-los na luta contra a obesidade, como por exemplo:

·           A genética influencia apenas em 30%, fatores ambientais interferem em 70% na causa da obesidade;

·           A decisão de ter um estilo de vida saudável;

·           A necessidade de um permanente compromisso com a saúde individual;

·           Os benefícios da autoestima.

É vital assumir uma atitude ativa na luta contra a obesidade infantil. Todas as crianças devem praticar exercício físico com regularidade. Esta geração de crianças tende a ser preguiçosa e a preferir aparelhos eletrônicos à atividade física. A dieta também ocupa um papel fundamental e isso começa em casa. Os pais devem fazer o esforço consciente de comer e servir alimentos mais saudáveis aos seus filhos. Não é difícil combater a obesidade infantil, só é necessária determinação.

As prateleiras dos supermercados e mídia também são responsáveis pela obesidade infantil. Os pais enfrentam hoje em dia o desafio de fazer os filhos compreenderem que a comida é apenas um dos prazeres da vida, não o único.

Fala-se muito em combater a obesidade infantil pelo fato de que quanto mais tarde, mais difícil fica perder peso e maiores são as chances dessa criança tornar-se um adulto obeso com todos os problemas que a doença acarreta. Estudos comprovam que a chance de uma criança obesa virar um adulto obeso é de 40%. Já entre os adolescentes, a probabilidade é de 75%. É nessa, fase infanto-juvenil, que o aumento de células gordurosas se torna irreversível acompanhando o indivíduo pelo o resto de sua vida. Também é mais fácil prevenir a obesidade infantil do que tratá-la, pois somente 20% das crianças obesas terão resultados positivos com o tratamento.

Para um tratamento ter sucesso é necessário ter paciência e aos poucos ir explicando, de forma simples e focada no presente, como a obesidade pode atrapalhar a vida da criança: fica mais difícil de brincar e lidar com  os apelidos maldosos e assim por diante. É importante deixar claro que dieta não significa cortar tudo o que mais gosta de comer, mas sim diminuir a quantidade e a frequência de alimentos sem valor nutricional. Mostrar para a criança que pode ser divertido praticar um esporte também influencia no hábito dela se interessar por algum tipo de atividade física. Além de tudo, dar muito apoio e evitar repreender a criança em público ou durante as refeições, ela não é obesa porque quer e sim porque, muito possivelmente, teve uma educação alimentar equivocada. O apoio dos pais é fundamental para mudar os hábitos alimentares inadequados Pais que desejam filhos com hábitos saudáveis, também devem dar o exemplo fazendo o mesmo.

Se não forem instituídas mudanças radicais para alterar a tendência atual, brevemente haverá uma situação em que as gerações futuras terão uma menor expectativa de vida quando comparada com as gerações anteriores.

Educar as crianças acerca das consequências da obesidade, encorajá-las a ter uma alimentação saudável e se exercitarem são medidas para reverter a obesidade infantil.

 

Fontes: www.cirurgiadaobesidademorbida.com.br; www.obesidade.org; www.obesidadeinfantil.org.




Escritório Central
(17) 3214-6499

Unidade Administrativa
Rua XV de Novembro, 4488 - Redentora
CEP 15015-110 - São José do Rio Preto/SP
Unidade Medicina Preventiva
Rua Redentora, 3140 - Redentora
CEP 15015-780 - São José do Rio Preto/SP
Unidade Comercial
Rua Redentora, 3238 – Redentora
CEP 15015-780 – São José do Rio Preto/SP
© Bensaúde - Todos os direitos reservados
desenvolvido por Diginova - Sites e Sistemas